Mundo no sentido pejorativo

“Seu Cristo é judeu. Seu carro é japonês. Sua pizza é italiana. Sua democracia – grega. Seu café – brasileiro. Seus números – árabes. Só o seu vizinho é um estrangeiro.” — em posters espalhados em Berlim, em 1994.

Não aproveito o espaço desse blog e a paciência da meia dúzia dos leitores aqui para discutir assuntos da tese. Contudo, acabei de ler um artigo do Tutty Vasques e uma entrevista do Bauman, ambos em No Mínimo. Difícil imaginar que haja algo semelhante entre o que os dois dizem, mas ambos tratam de alguns problemas da globalização. Aqui, só chamo a atenção para os dois textos.

Não, não sou pessimista. Otimistas são as pessoas que acreditam que o mundo que temos hoje, o mundo em que vivemos, é o melhor mundo possível. Pessimistas, por outro lado, são as pessoas que suspeitam que os otimistas podem estar com a razão… Na verdade, eu não sou nem pessimista, nem otimista. Eu acredito que um mundo melhor é possível. Bem, vamos tratar, então, de melhorá-lo um pouco. Zygmunt Bauman

Entrevista a Zygmunt Bauman

“E como é que vão fazer para se livrar dos miseráveis? Será que, como no filme ‘A Fuga das Galinhas’, vão inventar uma máquina para transformar excluído em torta?” Sentindo que eu estava de galhofa, ele entrou no jogo: “Talvez abram temporadas de caça aos excluídos”. Tutty Vasques

Texto de Tutty Vasques

************************************

Em tempo, estou ouvindo o cd da Madeleine Peyroux. Ela tá aqui no Brasil e canta logo mais à noite, na Sala Cecília Meirelles. Putz, a dona tem a voz praticamente idêntica a da Billie Holiday, my goodness! Parece até sessão espirita!

Sobre Monica Carvalho
Pelos motores de busca e por um comentário há tempos aqui no meu blog, imagino a quantidade de figuras que acham que o Nina e eu é o blog da modelo que posou nua na revista. Que desilusão ao perceber que a homônima aqui escreve muito sobre cinema, músicas estranhas, política e comunicação social, quando não escreve uns contos ou umas poesias. Aqui, caro leitor, não tem bundinha de fora, nem peitinho à mostra, nem pelos púbicos ou partes depiladas. Mas às vezes, acabo comentando acerca de umas safadezas que acontecem nesse nosso mundo doido de pedra. Algumas delas são mais indecentes que qualquer imagem de revista masculina. Ai, ai, mundo cruel, sobretudo para os internautas necessitados que na busca de uma fotinho pra aliviar as entranhas, têm que tocar o bicho com meus comentários sobre política internacional ou ao som do Tom Zé.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: