¿Quién dijo que todo está perdido?

Objetivos não são apenas metas, pontos mais ou menos distantes para os quais nos direcionamos e, assim, os atingimos. Apesar de minha tendência à dispersão, tenho metas. Para atingi-las, contudo, antes admiro todo meu percurso, faço pequenos e até enormes desvios. O caminho, às vezes, parece melhor que o próprio objetivo, ao qual chego com a sensação de que este foi apenas uma desculpa para desfrutar de todo o processo. Isto sou eu, mas também é um recado.

Uma de minhas metas hoje é aprender espanhol. Até já me matriculei em um curso. Tenho facilidade com idiomas, isto é verdade, pois aprender uma língua exige uma certa dose de dispersão para a qual muitas pessoas não se dão conta. A maioria só pensa em repetir palavras, frases, aprender a se apresentar. Não sabem que é preciso deixar-se engolir pela língua que se pretende aprender. Foi assim que aprendi francês e inglês. Aproveitando disto e do fato de que vivo a transbordar, tenho escutado muita música latina: Mercedes Sosa, Fito Páez, Jorge Drexler, Maná… Às vezes já me pego pensando em espanhol e o curso nem mesmo começou.

A música abaixo é de Fito Páez, cantada por ele e Mercedes Sosa. A última experiência que tive com criações de Páez foi um filme seu, sobre o qual comentei em algum post tempos atrás. Suas incursões cinematográficas são infelizes, é verdade, mas muitas de suas canções merecem respeito.

Por isso Yo Vengo A Ofrecer Mi Corazón…
Ouça a canção
Ouça uma outra versão, com Duo Coplanacu

Yo Vengo A Ofrecer Mi Corazón

¿Quién dijo que todo está perdido?
yo vengo a ofrecer mi corazón,
tanta sangre que se llevó el río,
yo vengo a ofrecer mi corazón.
No será tan fácil, ya sé qué pasa,
no será tan simple como pensaba,
como abrir el pecho y sacar el alma,
una cuchillada del amor.

Luna de los pobres siempre abierta,
yo vengo a ofrecer mi corazón,
como un documento inalterable
yo vengo a ofrecer mi corazón.

Y uniré las puntas de un mismo lazo,
y me iré tranquilo, me iré despacio,
y te daré todo, y me darás algo,
algo que me alivie un poco más.

Cuando no haya nadie cerca o lejos,
yo vengo a ofrecer mi corazón.
cuando los satélites no alcancen,
yo vengo a ofrecer mi corazón.

Y hablo de países y de esperanzas,
hablo por la vida, hablo por la nada,
hablo de cambiar ésta, nuestra casa,
de cambiarla por cambiar, nomás.

¿Quién dijo que todo está perdido?
yo vengo a ofrecer mi corazón.

Sobre Monica Carvalho
Pelos motores de busca e por um comentário há tempos aqui no meu blog, imagino a quantidade de figuras que acham que o Nina e eu é o blog da modelo que posou nua na revista. Que desilusão ao perceber que a homônima aqui escreve muito sobre cinema, músicas estranhas, política e comunicação social, quando não escreve uns contos ou umas poesias. Aqui, caro leitor, não tem bundinha de fora, nem peitinho à mostra, nem pelos púbicos ou partes depiladas. Mas às vezes, acabo comentando acerca de umas safadezas que acontecem nesse nosso mundo doido de pedra. Algumas delas são mais indecentes que qualquer imagem de revista masculina. Ai, ai, mundo cruel, sobretudo para os internautas necessitados que na busca de uma fotinho pra aliviar as entranhas, têm que tocar o bicho com meus comentários sobre política internacional ou ao som do Tom Zé.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: