Terças sabadais

Um telefonema inesperado e todo o passado retorna. O recado na secretária eletrônica me avisa que minhas preocupações não precisam ser sempre a tônica principal dos meus dias inexoravelmente úteis. A globalização só piora a desigualdade social e no Brasil há uma leva de excluídos, mas hoje, no Circo Voador, ali na Lapa, pertinho de casa, havia Alceu Valença, Zeca Baleiro e Luis Melodia incrivelmente juntos.

O pernambucano mais que arretado — isto porque ele estava gripado, disse ele –, o poeta maranhense e o negão-tudo-de-bom, segundo uma “discreta” fã que estava na platéia, deram um grande show, é verdade. O tempo parece ter parado para esses caras. Para mim, parece ter regredido por algumas horas, sobretudo ao lado de minha amiga dromedária. Nunca sabíamos se ela teria uma ou duas corcovas. Hoje sei que ela tem apenas uma, enquanto eu, duas.

O Circo Voador era um de meus principais locais de diversão quando adolescente. Vi Tim Maia dizendo barbaridades e quase fiquei entalada na roleta uma meia dúzia de vezes. Vi Celso Blues Boy, mas, sinceramente, quem não viu este bicho cativo que vivia enjaulado naquele circo? E Beto Guedes bêbado, rouco e desafinado, quando o clube de esquina reverberava em meu coração tão romântico daqueles tempos?

Minha última ida ao Circo, antes de fechar, foi às vésperas de minha viagem à Portugal, em dezembro de 1993. Fui a uma festa latina e dancei muito com todos os venezuelanos, colombianos e caboverdianos que se disponiblizaram a me ensinar salsa, rumba e outros maravilhosos ritmos latinos. Hoje é fácil encontrar uma festa dessas no Rio: basta ir ao Punto Latino, por exemplo. Aliás, que 1993 foi aquele…

Hoje, retornando ao Circo — primeira vez, após sua reinauguração –, vi que as coisas por lá mudaram muito: podemos pular e dançar no andar de cima sem sentirmos medo de cair; somos revistados na entrada; o sanduíche deles tem rúcula e tomate seco; a entrada de estudante deveria ser a entrada normal para qualquer um; e tem um DJ super descolado colocando suas MPBs mixadas com batidas drum’n bass.

Putz, o tempo passou incontrolavelmente, sem avisar, simples assim. Minha amiga dromedária me falou do peso de sua corcova nos últimos cinco anos de sua vida e eu percebi que ser adulto é mais difícil que enfrentar a mudança arquitetônica e acústica da casa de shows da época em que eu contava os meus cruzeiros ou cruzados novos, sei lá, não me lembro. É, naquela época eu vivia em Babylon…

Sobre Monica Carvalho
Pelos motores de busca e por um comentário há tempos aqui no meu blog, imagino a quantidade de figuras que acham que o Nina e eu é o blog da modelo que posou nua na revista. Que desilusão ao perceber que a homônima aqui escreve muito sobre cinema, músicas estranhas, política e comunicação social, quando não escreve uns contos ou umas poesias. Aqui, caro leitor, não tem bundinha de fora, nem peitinho à mostra, nem pelos púbicos ou partes depiladas. Mas às vezes, acabo comentando acerca de umas safadezas que acontecem nesse nosso mundo doido de pedra. Algumas delas são mais indecentes que qualquer imagem de revista masculina. Ai, ai, mundo cruel, sobretudo para os internautas necessitados que na busca de uma fotinho pra aliviar as entranhas, têm que tocar o bicho com meus comentários sobre política internacional ou ao som do Tom Zé.

8 Responses to Terças sabadais

  1. Reynaldo diz:

    Nossa, deu vontade de voltar lá.
    Beijos
    rey

  2. Silvio Reis diz:

    Mônica,

    Dansei/Dansar???

    Então foi bom mesmo!

    []´s

  3. Mônica Carvalho diz:

    Ops, é verdade. Chegue até mesmo a começar a falar em espanhol por isso. corrigido!

  4. Flávia Galvão diz:

    bom… por circunstâncias, eu sou uma e-analfabeta… assim… confusa, coloquei o comentário que devia estar aqui, no post do shhhhhhhhh… tem jeito de arrumar??? triiiste, né???

  5. Anonymous diz:

    MÔÔÔÔ… tô passada!!!! voltei aqui só pra dizer que de tudo que eu vi aqui o que mais me absurdou foi aquela colcha de retalhos, digo, de patchouli… digo, de patchwork que você fez!!!! FANTÁSTICA!!! Como posso adquirir uma??? Vamos fazer assim: Eu bodo umas coisas pra você e você faz uma pra mi, que tal???? adorei!!! que lindo! que lindo!!!

  6. Flávia diz:

    juro que é a última que escrevo: a anônima acima sou eu, claro….

  7. Silvio Reis diz:

    Hola,

    Yo estoy hablando muy bien ahora, jejejejeje, pero en español és “bailar”😉

    Bueno…

  8. Mônica Carvalho diz:

    verdade, é difícil arrumar desculpa para nossos erros mesmo…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: