Piódão

Ontem estive no Piódão, uma aldeia portuguesa típica da região centro, cujas casas são feitas com telhados de xisto. É um dos lugares mais pitorescos em Portugal. Fica escondida num vale na Serra do Açôr. Para chegar até lá passamos por estradas muita curvas com despenhadeiros ao largo. A paisagem é simplesmente incrível, nunca tinha visto um paisagem montanhosa tão linda por aqui.

piodao1.jpg

A primavera por lá vai demorar um pouco mais a chegar. O frio é de doer os ossos. Sobre a história da cidade acho que é mais interessante ler aqui, pois é preciso pesquisar mais, até porque tem muita coisa obscura naquela terrinha.

A aldeia parece de bruxas. A receptividade não é grande coisa e enquanto andamos aqui e lá, parece que estamos sendo vigiados pelos seus poucos habitantes, em sua grande maioria idosos. A hostilidade geográfica também é evidente. Não somente é muito difícil chegar lá como o local é muito sujeito a tempestades que deixam estragos: cruzes nas portas pedem proteção à Santa Bárbara contra as trovoadas; estradas destruídas em decorrência de enxurradas; asfaltos no caminho das águas da chuva não resistem. Enfim, só mesmo com muita reza e benzedura para resistir naquele lugar.

piodao03.jpg

Tais problemas parecem ser o retrato de uma política pouco produtiva. Chegamos lá depois das cinco da tarde, é verdade. Mas ontem começou oficialmente o horário de verão a agora já anoitece às oito. Além disso era domingo! Pois mesmo assim o museu da aldeia, cujo apelo turístico é óbvio, tinha fechado às 4. Vê-se que as pessoas só vão mesmo lá para cumprir horário.

piodao02.jpg

Uma coisa interessante: a igreja se destaca muito do resto do casario. Ela foi construída no século XVII com o mesmo material das casas. No entanto, foi pintada de branco. Perguntei à pessoas que estava lá zelando pelo monumento o porquê e ela me disse que era para distinguir das casas do moradores. Para que distinguir? Os habitantes jamais a confundiriam. Teoria minha: julgo que é para que saibam, ao longe, que a aldeia tem uma igreja. E que, portanto, seus moradores são cristãos. Isto, no século XVII, devia fazer bastante diferença para quem chegava.

piodao04.jpg

Sobre Monica Carvalho
Pelos motores de busca e por um comentário há tempos aqui no meu blog, imagino a quantidade de figuras que acham que o Nina e eu é o blog da modelo que posou nua na revista. Que desilusão ao perceber que a homônima aqui escreve muito sobre cinema, músicas estranhas, política e comunicação social, quando não escreve uns contos ou umas poesias. Aqui, caro leitor, não tem bundinha de fora, nem peitinho à mostra, nem pelos púbicos ou partes depiladas. Mas às vezes, acabo comentando acerca de umas safadezas que acontecem nesse nosso mundo doido de pedra. Algumas delas são mais indecentes que qualquer imagem de revista masculina. Ai, ai, mundo cruel, sobretudo para os internautas necessitados que na busca de uma fotinho pra aliviar as entranhas, têm que tocar o bicho com meus comentários sobre política internacional ou ao som do Tom Zé.

One Response to Piódão

  1. Uau adorei iso.
    Te amo, beijo
    Rey

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: